Nos dias 27 e 28 de abril acontecerá o 13º Congresso Internacional de Transporte (13º CIT), em formato virtual, promovido pela Associação Mexicana de Transporte e Mobilidade (AMTM). As inscrições gratuitas estão abertas.

Estão abertas as inscrições gratuitas para participação no 13º Congresso Internacional de Transporte (13º CIT), que será promovido em caráter virtual pela Associação Mexicana de Transporte e Mobilidade (AMTM) nos dias 27 e 28 de abril de 2022. O tema geral do encontro é Redefinir e Inovar a Mobilidade Para participar será necessária a inscrição prévia por meio de link ao final desta matéria.

A programação completa será oportunamente divulgada, mas informou-se que encontro deverá contar com a participação de Mohamed Mezghani, secretário-geral da União Internacional de Transporte Público (UITP) e Enrique de la Madrid, diretor do Centro para o Futuro das Cidades do Tecnológico de Monterrey (ITESM).

Os dois especialistas proferirão conferências magistrais trazendo propostas que ajudarão a reanimar o setor de transporte público passou no México ainda mergulhado em significativa crise, com perdas estimadas em pelo menos 200 milhões de pesos durante a temporada de pandemia e uma demanda global que mal chega a 35%.

Também está prevista a participação de Claudia Adriazola, diretora Interina de Mobilidade Urbana, Saúde e Segurança Viária, do World Resources Institute (WRI), uma organização técnica global que estabelece laços entre conservação ambiental, oportunidade econômica e bem-estar humano.

Outra participação esperada é de Todd Litman, fundador e diretor-executivo do Victoria Transport Policy Institute, um ‘think tank’ canadense que busca melhorar o planejamento e a política de transporte através de pesquisas independentes para desenvolver soluções inovadoras e práticas para problemas de transporte.

A SITUAÇÃO DO TRANSPORTE PÚBLICO

Por meio de texto publicado em seu portal para contextualizar a realização do 13º Congresso Internacional de Transporte, a Associação Mexicana de Transporte e Mobilidade informa que as concessionárias de transporte público representam 4% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional e movimentam mais de 40% da população do país, porém, em dois anos de pandemia “muitos se encontram sem possibilidades financeiras junto aos bancos, visto que a crise sanitária veio quando optaram por empréstimos para a renovação da frota de veículos, ordenados pelos diversos governos locais, mas as autoridades não os apoiam como intermediários, e os financiadores já estão cobrando juros sobre os juros”.

Com base na opinião de diferentes analistas, a AMTM frisa que o principal desafio para 2022, será caminhar na direção da institucionalização do transporte público como política de Estado e estabelecer rotas de ação e mecanismos financeiros para garantir a implementação da Lei Geral sobre Mobilidade e Segurança Rodoviária, recentemente aprovada.

EQUALIZADOR SOCIAL”

O texto da AMTM lembra que as autoridades enfatizam a necessidade de haver o gerenciamento da mobilidade como um todo e do transporte público em particular como uma política social, em conformidade com o direito à mobilidade, que consubstancia “uma oportunidade para a equidade, a inclusão social e a redução da pobreza no país”.

Acrescenta o transporte público deve transformar-se em um “equalizador social que ajude a reduzir os efeitos que poluem o planeta”, e preconiza que o empenho nessa direção deva ser realizado “em equipe”, o que pressupõe “coordenação e articulação permanente de esforços para que os três níveis de governo se unam para melhorar a mobilidade”.

Clique aqui ara inscrever-se

TODOS OS CONGRESSOS

A Associação Mexicana de Transporte e Mobilidade mantém em seu web site uma biblioteca de publicações que retratam todos os congressos da entidade, realizados a partir de 2008. Ali se encontram elementos que permitem ver e entender a evolução dos debates sobre mobilidade urbana no México em mais de uma década.

Acesse a biblioteca

Veja também

Por