Governo chileno assina contratos para a concessão do uso de vias que incorporarão ao sistema de Santiago 1.637 novos ônibus urbanos padrão Red. A empresa Metropol, principal operadora em Buenos Aires, Argentina, irá operar duas unidades, com 49 serviços

Ministra Gloria Hutt

Na primeira semana de março de 2022, o governo nacional do Chile, através do Ministério dos Transportes e Telecomunicações, assinou os contratos derivados do Concurso de Concessão para o Uso das Estradas do Sistema de Transporte Público de Santiago, que permitirão a incorporação ao sistema da capital chilena de 1.637 ônibus de padrão Red (com mais qualidade, segurança e conforto).

Os contratos foram assinados entre a autoridade de transporte e três empresas que receberam seis novas unidades de serviço (US), compreendendo um total de 153 serviços, que correspondem a 29% dos serviços atualmente em operação no Sistema de Transporte Público de Santiago.

A Redbus recebeu as unidades US4 e US6, com 50 serviços. STP irá gerenciar as US3 e US5, com 54 serviços.

Enquanto isso, o novo operador do sistema, Metropol, o principal operador em Buenos Aires, Argentina, operará as US1 e US2, com 49 serviços.

O Ministério dos Transportes e Comunicações informa que a realização deste concurso permitirá a operação de novos ônibus com cinco milhões de viagens por semana, além da inclusão de mais de 230 novas paradas de ônibus.

Também considera uma nova distribuição da rede de serviços, que expande a rede do sistema em mais de 500 km, e um aumento da cobertura distribuída em 13 pontos nas áreas norte, leste e sudeste da cidade.

VALIDAÇÃO DO NOVO MODELO

 “Com este ato, culmina a segunda e última etapa dos processos de licitação que consolidam a transformação em direção ao novo padrão vermelho, e com ele validamos o novo modelo de transporte que separa a operação dos serviços da propriedade de ônibus e terminais, fornecendo mais ferramentas de controle e requisitos para elevar o padrão de qualidade do serviço de transporte de pessoas”, disse a ministra dos Transportes e Telecomunicações, Gloria Hutt, que deixará o cargo em 11 de março de 2022, quando um novo governo nacional tomar posse.

TRANSIÇÃO PARA O NOVO MODELO

Segundo o diretor de Transporte Público Metropolitano, Fernando Saka, após a assinatura do contrato, e a fim de iniciar a operação dos serviços, as respectivas encomendas para o fornecimento dos ônibus foram emitidas aos fornecedores para a fabricação dos ônibus, cuja primeira chegada está estimada em aproximadamente mais nove meses.

Com isto, iniciou-se a preparação para a transição do sistema atual para o novo modelo operacional, que será posto em marcha durante 2023.

Entre as principais características do novo contrato de Concessão de Uso de Vias que está sendo implantado, o governo destaca o maior poder que a autoridade terá para definir Programas Operacionais focados nas necessidades das pessoas e na modificação dos mecanismos que salvaguardam o cumprimento da oferta estabelecida.

Além disso, considerando o tempo de espera, foram feitos progressos em direção a um esquema de operação por itinerário em serviços de baixa freqüência, serviços noturnos e de fim de semana, para que os usuários saibam a que hora o ônibus passará em cada parada, de modo que possam planejar sua viagem com mais precisão. 

NOVAS UNIDADES DE SERVIÇO

As novas unidades de serviço serão menores do que as atuais (400 ônibus em média, enquanto as atuais são cerca de 1.000). Isto, segundo o governo, reduzirá o risco de continuidade dos serviços de transporte no caso de uma empresa ter problemas de gestão que afetem a operação.

O período de concessão também é reduzido de 10 para cinco anos, com a opção de estender a operação por até cinco anos adicionais quando os padrões de qualidade forem atendidos.

PRESENÇA FEMININA

O contrato estabelece a exigência de ter um percentual mínimo de 7,5% de mulheres no pessoal de operação e manutenção, que deve ser cumprido dentro de um período máximo de dois anos.

ELETROMOBILIDADE

A fim de promover a eletromobilidade, foi determinado que aqueles contratos que contemplam uma frota com mais de 50% de ônibus com propulsão elétrica serão válidos por sete anos, prorrogáveis por até mais sete, desde que cumpram com as normas definidas no contrato.

CERTIFICAÇÕES

Por outro lado, há maiores exigências para a operação, relacionadas à obtenção de certificações.

Ao contrário dos contratos atuais, os novos contratos estabelecem, entre outros requisitos, a obtenção da certificação de segurança rodoviária ISO 39.001, a certificação na norma chilena NCh 3262 sobre igualdade de gênero, conciliação de trabalho, vida familiar e pessoal, e a certificação de pelo menos 60% dos trabalhadores, até o quinto ano, em perfis ocupacionais de acordo com o ChileValora –

Comissão do Sistema Nacional de Certificação de Competências Trabalhistas, serviço público que nasceu sob a égide da Lei 20.267 do ano de 2008.

Além disso, os ônibus que entrarão no sistema como resultado da licitação têm um padrão de qualidade superior, maiores condições de segurança e um processo que garante que a manutenção desses ônibus será realizada de forma oportuna, entre outros pontos, tudo com o objetivo de melhorar a experiência de viagem do usuário.

Veja também

Por