Obrigado aos profissionais da saúde

Uma estação de metrô de Santiago é parte do projeto desenvolvido pela Corporação 3Xi, intitulado A Arte da Cura, que envolve a implantação de um grupo de dez murais temáticos executados por artistas de destaque em diferentes centros de saúde da Região Metropolitana de Santiago, Antofagasta, Valparaíso e La Araucanía. A idéia é homenagear e agradecer aos profissionais de saúde por seus esforços e ações no combate ao coronavírus.

Mostrando que o triplo “i” em seu nome significa “Inspirar, Incluir e Inovar”, em seu website, a 3xi se define como uma corporação “que trabalha para construir uma cultura de encontro, gerando espaços de confiança e construindo pontes diversas e transversais entre pessoas de ação, gerando um vínculo entre organizações e representantes da sociedade civil para criar um Chile melhor”.

Quanto ao projeto A Arte da Cura, a organização salienta que se trata de uma iniciativa “que conecta as artes visuais, saúde, espaços públicos e privados, academia e cidadãos através de uma série de intervenções pictóricas em diferentes hospitais, com o objetivo de prestar homenagem às equipes de saúde do Chile por seu trabalho decisivo no enfrentamento do Covid-19”.

ESTAÇÃO DE METRÔ DE SANTIAGO

A estação Hospital Sótero del Río, na Linha 4 do Metrô de Santiago, é o único ponto do projeto A Arte da Cura situado em um sistema de transporte público. Ali está instalada a obra pintada pelo artista chileno Alme Yutronic, que é também autor da obra El Sueño de Volar (O Sonho de Voar), instalada em 2017 na estação Cerrillos da Linha 6 do Metro de Santiago.

A nova obra está localizada fora da estação do Hospital Sótero del Río, em uma das entradas e no cubículo do elevador, bem em frente ao hospital de mesmo nome.

O mural tem uma superfície de 120 metros quadrados, e mostra uma profissional de saúde em posição de descanso, com uma expressão de satisfação, olhando para a segunda parte da intervenção na qual a palavra “Obrigado” pode ser lida.

Louis de Grange, presidente do Metro de Santiago, declarou: “No Metro estamos muito felizes em fazer parte deste significativo projeto artístico, que consegue expressar de forma muito clara a gratidão pelo compromisso e esforço feito pelas equipes de saúde, de forma sustentada, durante toda a pandemia. Além disso, com este tipo de trabalho, continuamos, como Metro, a gerar espaços que melhoram o ambiente urbano, fortalecem o vínculo com a comunidade e trazem arte e beleza para todos”.

OS ARTISTAS

Sobre o projeto A Arte da Cura, Alme Yutronic enfatizou: “Achei importante mostrar um lado mais positivo para toda a situação, e o projeto é muito interessante. Para mim, também tem uma dupla origem, porque um membro da família morreu naquela instituição de assistência, e tivemos que nos despedir dele no meio da pandemia, com todas as restrições daquela época”.

O artista também afirma que “o espaço é reabilitado com uma intervenção como esta, porque vê-lo limpo, recém pintado, dá às pessoas uma disposição diferente em relação ao espaço”.

Os outros locais e os respectivos artistas são os seguintes: Hospital Regional Antofagasta – Francisco Esec Tapia; Hospital Naval Viña del Mar – Seco Sánchez; Posta Central (Portugal/Muro de Curicó) – Javier Barriga; FALP – María Paz Lama; Clínica Alemana –Santiago Ascui; Hospital Clínico Universidad de Chile – Rodrigo Estoy; Hospital Metropolitano – Francisco Olea; Hospital El Carmen Maipú – CONILARS, e Hospital Intercultural Nueva Imperial – Alapinta.

TECNOLOGIA DE DESCONTAMINAÇÃO

O Metrô de Santiago informou que o trabalho na estação Hospital Sótero del Río foi pintado com o aditivo nanotecnológico Photio, da empresa Fractal, que, quando misturado com a tinta, atua como purificador de ar.

O aditivo transforma até dez tipos de gases de efeito estufa, bem como bactérias, vírus e fungos, em um processo semelhante à fotossíntese.

As partículas que compõem este aditivo degradam e transformam agentes nocivos e poluentes no contato, transformando estruturas inteiras em enormes purificadores de ar.

Cada metro quadrado pintado com este aditivo é equivalente ao plantio de quatro árvores que descontaminarão permanentemente o ar. Esta é a segunda obra do catálogo da MetroArte a ser pintada com este produto, unindo a obra Serendipia na estação Hospitales da Linha 3.

Veja também

Por