Consórcio liderado por duas empresas chinesas venceu o concurso internacional para construir, fornecer o material rodante, operar e manter a Primeira Linha do Metrô de Bogotá (PLMB)

O Gabinete do Prefeito de Bogotá informou em 17 de outubro de 2019 que o grupo formado pelas empresas China Harbour Engineering Company Limited (Chec) e Xi’An Metro Company Limited (hoje, Xi’AnRail Transportation Group Company Limited), apoiado pela empresa brasileira CRRC Changchun do Brasil Railway Equipamentos e Serviços e a subsidiária espanhola da Bombardier do Canadá, como subcontratantes, fizeram a oferta mais econômica para a cidade e atenderam a todos os requisitos do Concurso Público Internacional para construir, abastecer o material rodante, operar e manutenção da Primeira Linha do Metrô de Bogotá (PLMB).

O comunicado acrescenta que a empresa responsável pela avaliação foi a Konfirma S.A.S., especializada nesses assuntos. O prefeito de Bogotá, Enrique Peñalosa Londoño e o presidente da República da Colômbia, Iván Duque, participaram da cerimônia de anúncio do consórcio vencedor.

CARACTERÍSTICAS E CUSTOS

O projeto prevê a implantação de aproximadamente 24 quilômetros de trilhos elevados a 13 metros de altura, com 16 estações. O sistema conectará as porções sudoeste e nordeste de Bogotá.

O valor do contrato excede 13 bilhões de pesos (USD 3.960 milhões). Enrique Peñalosa disse na cerimônia que 70% do orçamento do metrô será investido em gastos locais. “São 9 bilhões de pesos (USD 2.628 milhões), o que gerará dezenas de milhares de empregos para dezenas de milhares de famílias de Bogotá. Emprego em Bogotá, prosperidade econômica na Colômbia ”. O financiamento será feito 70% pelo governo nacional da Colômbia e 30% restantes pelo Distrito Capital.

OUTROS ASPECTOS

Na fase de pré-qualificação, seis consórcios dos sete apresentados inicialmente cumpriram com os critérios de habilitação relacionados a aspectos técnicos, jurídicos, financeiros e de experiência em projetos similares. No caminho, dois consórcios se retiraram, deixando quatro qualificados, dos quais, em 3 de outubro, dois apresentaram ofertas: o Consórcio do Metrô de Bogotá e APCA Transmimetro; este último, em conformidade com a avaliação, recebeu a pontuação mais alta por sua oferta econômica, 100 pontos, comparado a 94,54 de seu concorrente.

Até 24 de outubro de 2019, o licitante não selecionado poderá apresentar protestos sobre a decisão e, a partir desse momento, nos termos da convocação, os documentos finais do grupo selecionado serão recebidos e verificados para assinar o contrato e dar início às obras, no primeiro semestre de 2020.

O gerente geral da Companhia de Metrô de Bogotá, engenheiro Andrés Escobar Uribe, também anunciou que o contrato com o consórcio vencedor será assinado nos próximos 45 dias e as obras serão iniciadas no segundo trimestre de 2020. O projeto será executado entre 2019 e 2045, cobrindo as etapas de pré-construção, construção e 20 anos de operação.

O comunicado do governo bogotano acrescenta que a empresa responsável pela avaliação foi a Konfirma S.A.S., especializada nesses assuntos. Assim, a Apca Transmimetro foi selecionada como o grupo para construir, abastecer o material circulante, operar e manter a Primeira Linha do Metrô de Bogotá (PLMB). O consórcio selecionado deve executar os projetos detalhados, financiar parcialmente o projeto, construir o pátio da oficina, o viaduto e as estações, reconfigurar os corredores da estrada ao longo do percurso, transferir as redes menores de serviços públicos, adaptar e reparar os desvios de trânsito durante o trabalho, realizar a gestão socioambiental, fornecer trens e outros equipamentos, operar e manter o sistema durante os primeiros 20 anos de operação.

Veja também

Por