Está crescendo a rede de ciclovias e de caminhos protegidos para bicicletas

A rede de ciclovias e caminhos protegidos para bicicletas da Cidade Autônoma de Buenos Aires (denominada Red de Ciclovías y Bicisendas Protegidas) iniciou 2017 com 169 km, alcançando a extensão de234 km em meados de 2019.

Até o final de 2019, a rede deverá chegar a 250 km, conforme anunciou o governo. Enquanto em 2009 apenas 0,4% das viagens da cidade foram feitas de bicicleta, hoje essa porcentagem chegou a 4%.

Centenas de milhares de pessoas usam a bicicleta como meio principal ou complementam sua viagem com outras alternativas, como metrô, trem ou ônibus. A bicicleta representa hoje para todos eles mais uma opção para chegar ao trabalho e ao estudo; em suma, para se deslocar na cidade.

PILAR FUNDAMENTAL

O governo de Buenos Aires considera que, junto a promoção do uso da bicicleta e do Sistema de Transporte Público de Bicicletas, a rede de ciclovias e caminhos protegidos é um pilar fundamental para o crescimento das viagens de bicicleta.

Todas as regiões e 41 dos 48 bairros da cidade contam com essa infraestrutura projetada para fornecer segurança rodoviária a centenas de ciclistas que circulam por Buenos Aires todos os dias. E recentemente estreou no Bairro 31, onde também uma das novas 400 estações Ecobici foi inaugurada nas últimas semanas.

Conforme relatado pelo governo, o desenho da rede de ciclovias e caminhos protegidos para bicicletas favorece a conectividade com a área central e com os Centros de Transferência, bem como com os pontos que concentram um elevado número de postos de trabalho e de estudantes. Sua extensão é planejada em conjunto com as localidades das estações Ecobici para que os moradores que escolhem o sistema público gratuito circulem com segurança pelas ruas de Buenos Aires.

CICLOVIAS OU BICISENDAS PROTEGIDAS

Na maioria das vezes, as ciclovias e caminhos protegidos para bicicletas têm um cordão de separação para maior segurança na circulação do ciclista.

Estão localizados no lado esquerdo, onde o estacionamento é proibido por norma geral. O lado direito foi descartado por ser a pista operacional para os ônibus e para a carga e descarga de veículos comerciais.

O estacionamento é eliminado e a detenção e movimentação de qualquer veículo sobre a via exclusiva para bicicletas é descartada.

Em todas as interseções, as pistas para ciclistas são sinalizadas com tinta reflexiva especial de cor verde para maior visibilidade noturna dos veículos que circulam pelas ruas transversais.

São encontradas principalmente em vias arteriais com baixo tráfego, evitando a sobreposição com a rede de ônibus, tráfego pesado e avenidas.

Os tempos de cruzamento são modificados e novos semáforos são colocados.

PLANO DE MANUTENÇÃO

O governo informa que a equipe de execução e manutenção da rede de ciclovias e caminhos protegidos para bicicletas da Cidade Autônoma de Buenos Aires realiza pesquisas permanentes em suas diferentes seções. Com base nisso são elaborados relatórios sobre o status de cada uma e as diferentes prioridades são ordenadas. Assim, são realizados trabalhos de recapeamento e mudança de bocas de lobo, por exemplo. Atualmente, estão sendo feitos trabalhos sobre os traçados Gorriti, Serrano e Jorge Luis Borges.

O Plano de Manutenção está em constante execução e leva em conta o estado e as necessidades de cada caso específico para o qual as prioridades são estabelecidas. O progresso mensal é de cerca de 5% (a rede está em constante uso e o estado das ciclovias e dos caminhos para bicicletas é dinâmico).

OS CONTROLES

O governo da Cidade Autônoma de Buenos Aires explica que os trajetos que os agentes de trânsito fazem são dinâmicos e definidos como parte de um plano geral de cobertura que inclui áreas com ciclovias e caminhos para bicicletas para controlar sua invasão e estacionamento inadequado.

Para garantir que a Rede de Ciclovias e Bicisendas Protegidas esteja clara, a partir de 2019, um grupo de 20 agentes de trânsito de bicicleta foi designado exclusivamente para garantir que estejam livres de veículos.

Além disso, para que o trajeto dos agentes pelos diferentes bairros da cidade seja mais eficaz e possa retornar às áreas de maior conflito quando necessário, foi incorporada uma nova tecnologia. Os 24 capacetes inteligentes permitem obter um registro mais completo de todas as regiões, ampliando a área de cobertura, melhorando o controle dos veículos, bem como dos motociclistas. Para capturar imagens que possam ser analisadas minuciosamente, as motocicletas circulam entre 20 e 25 km/h. Os moradores também podem fazer reclamações através do aplicativo BA Denuncia Vial e BA 147.

Veja também

Por