Metrô de Medellín (Colômbia) e Grupo Transdev (França) operarão o Metrô de Quito por seis anos. O anúncio foi feito em 15 de julho.

Em uma cerimônia realizada na estação de San Francisco, no final da manhã de sexta-feira, 15 de julho de 2022, o prefeito de Quito, Santiago Guarderas, informou que o consórcio formado por Metro de Medellín (Colômbia) e Grupo Transdev (França) operará o Metrô de Quito. O contrato operacional é válido por seis anos.

A outra proposta que concorria pelo contrato havia sido apresentada pelo Metrô de São Paulo, Brasil.

De acordo com o roteiro publicado em junho passado, o contrato deve ser assinado antes de 31 de agosto, a marcha branca começará em outubro e em dezembro de 2022 o Metrô de Quito começará a operar regularmente.

Iniciado no final de março de 2022, o processo de seleção foi acompanhado pela Quito Honesto – organização cujas responsabilidades incluem implantar as medidas necessárias para prevenir, investigar, identificar e individualizar ações ou omissões que envolvam corrupção – e organizações multilaterais de financiamento

Veja também

Por