Metrobús, 17 anos

Em 19 de junho de 2022, o sistema Metrobús da Cidade do México comemorou 17 anos de operação.

O governo da capital destaca que os 20 quilômetros iniciais de sua primeira linha foram ampliados para 148 quilômetros de rota, mais 15 quilômetros da emergente rota Tláhuac, o que equivale a viajar da capital do México à cidade de Puebla.

Desde 2019, as linhas 3, 4 e 5 foram ampliadas, a pista da linha 2 foi reconstruída e 10 ônibus elétricos foram incorporados à linha 3. As linhas 1, 2, 3 e 4 operam com tecnologia de pagamento eletrônico e “sem contato”.

Foram integradas 228 unidades com portas de correr, que evitam batidas e dão mais espaço nas unidades.

A frota da Metrobús conta com 806 unidades, entre as quais 10 ônibus elétricos “zero emissões” e recebe, em média, 1,45 milhão de passageiros por dia, sendo a Linha 1 a de maior demanda, com média de 401 mil passageiros por dia.

Nesse sentido, os mais de 30 milhões de passageiros por semana que a agência transporta equivalem a três vezes o número de habitantes da capital, que é pouco mais de nove milhões de pessoas, segundo o último censo realizado pelo Instituto Nacional de Estatística e Geografia (INEGI) de 2020.

Bem qualificado

Um dia antes de a Metrobús completar 17 anos, a empresa divulgou um relatório sobre a mais recente pesquisa realizada para conhecer a percepção da qualidade do serviço, datada de 2021.

De acordo com esta pesquisa, 91,56 por cento dos usuários consideram que a qualidade do serviço oferecido pela agência é “excelente”.

O relatório destaca que nos primeiros seis anos em que esta avaliação foi realizada, o número médio de utentes que classificaram o serviço como “excelente” não ultrapassou os 70 por cento, no entanto, de 2019 para 2021 esta rubrica aumentou 20 por cento

A administração do Metrobús considera que a mudança na forma como os usuários concebem o sistema coincide com a expansão das linhas 3 e 5, bem como com a implantação de operações de segurança e a inclusão de novas tecnologias para recebimento de pagamentos.

A pesquisa, realizada desde 2013, não só permite determinar a qualidade do sistema Metrobús, como também fornece informações relevantes necessárias para modificar e melhorar os processos operacionais, e mesmo para suspender ou desenvolver novas ações, com o objetivo de oferecer transportes públicos de primeira classe.

Em 2021, a pesquisa foi aplicada a 4.922 homens, 3.023 mulheres e 119 pessoas descritas como “gênero não binário”, e incluiu também 830 pessoas com algum tipo de deficiência, e abrange usuários de todas as redes sociais.

PONTOS

Entre os dados recolhidos, destaca-se que, das 8.064 pessoas inquiridas, 80 por cento (pouco mais de 6.000 utilizadores) utilizam alguma linha para chegar aos seus locais de trabalho, seguidos por 9,5 por cento das pessoas que utilizam este meio para se deslocarem a alguma área de entretenimento e 9,2% das pessoas que usam o Metrobús para chegar aos centros de estudo.

Nesse sentido, é preciso destacar que 87% das pessoas consultadas não possuem veículo próprio.

Quanto às situações relacionadas com infraestruturas, serviços ou unidades, a mais comum é a que se refere a problemas de carregamento ou cobranças com os cartões, no entanto, a avaliação de 2021 revela que durante o último mês apenas 19 por cento dos inquiridos tiveram problemas com o seu Cartão Integrado. Cartão de mobilidade.

Quanto à relação entre qualidade e preço do serviço, 61 por cento consideram que o preço é aceitável, 23 por cento consideram que é barato e 6 por cento consideram que é caro; Em termos de integridade física e moral, 71% dos entrevistados se sentem seguros no Metrobús; e, finalmente, 89% concordam com espaços exclusivos para mulheres, crianças e pessoas com deficiência.

Veja também

Por