Cidade de São Paulo edita e publica, em português, para livre consulta o ‘Manual de Desenho Urbano e Obras Viárias’

Está disponível por meio de link ao final desta matéria o Manual de Desenho Urbano e Obras Viárias, somente em português, editado pelo governo da Cidade de São Paulo, Brasil.

A publicação inclui todos os aspectos, normas e parâmetros necessários a serem considerados no desenvolvimento de um projeto viário da maior cidade brasileira. É a primeira vez na história que a cidade conta com um guia dessa natureza.

As informações estão organizadas em sete capítulos. O Capítulo 1 – Introdução apresenta o documento, como foi elaborado e as parcerias estabelecidas para a efetivação do trabalho.

O Capítulo 2 – Governança trata das questões relativas às competências dos órgãos relacionados ao espaço viário e ao financiamento das intervenções. São informações que o profissional deve conhecer antes de dar início à elaboração do projeto

O dimensionamento e ordenamento do espaço viário: tipologia da via, espaço do pedestre, espaço do ciclista e pista são os aspectos abordados no Capítulo 3 – Parâmetros de Desenho do Viário.

POSICIONAMENTO DOS ELEMENTOS

Os capítulos seguintes abordam o posicionamento de diversos itens no espaço viário.

O Capítulo 4 – Elementos urbanos está organizados em serviços de interesse público, mobiliário urbano, sinalização, posteamento e dispositivos de proteção. O posicionamento desses elementos deve observar também as redes de serviço público localizadas sob o espaço viário e que se conectam com a superfície em diversos pontos.

O conteúdo do Capítulo 5 – Infraestrutura Subterrânea encontra-se em desenvolvimento e integrará o manual em breve. Este capítulo terá informações de concessionárias de serviços públicos, cujos regramentos devem ser devidamente compatibilizados com os padrões da estrutura subterrânea da cidade Muitos desses serviços operam em regime de concessão, como água, esgoto, gás canalizado, energia elétrica, telefonia e tecnologia da informação e comunicação. Outros, como drenagem e os diversos dutos da CET – Companhia de Engenharia de Tráfego, são geridos pelo próprio poder público.

Os sistemas naturais também abrigados pelo espaço viário, como arborização, parques lineares, sistemas de biorretenção são o foco do Capítulo 6 – Infraestrutura Verde e Azul.

O Capítulo 7 – Bibliografia e Créditos, composto pelos textos finais, completa o conteúdo do manual.

Acessar o manual

Veja também

Por