Modelo de operação sob análise

Segundo informe oficial, em 19 de maio de 2021 iniciaram-se de maneira telemática as atividades das mesas de trabalho organizadas pela diretoria da Empresa Pública Metropolitana Metro de Quito par analisar as conclusões do primeiro relatório da Vigilância Cidadã, a fim de permitir que o órgão colegiado ratifique ou retifique o modelo de operação direta com assistência técnica internacional, definido em 2 de março de 2021.

A nota diz que neste primeiro dia, delegados da Empresa Pública Metropolitana do Metro de Quito apresentaram os dois modelos de gestão que foram analisados ​​em fevereiro e março passado pela diretoria para uma tomada de decisão.

Os modelos são: gestão direta com assistência técnica internacional e gestão direta na contratação de serviços de operação e manutenção.

A nota prossegue referindo que, adicionalmente, e na ausência dos representantes da Vigilância Cidadã que motivaram a realização das referidas tabelas, foi lida a leitura das conclusões do seu primeiro relatório.

O comunicado da Empresa Pública Metropolitana do Metrô de Quito afirma: “Para garantir a participação cidadã e a transparência desta comissão, os grupos de trabalho continuarão a ser realizados de forma técnica e responsável, garantindo que seus participantes tenham informações suficientes para a análise”.

O texto se encerra com uma convocação: “Por esse motivo, a alta direção da Empresa Pública Metropolitana de Quito convoca os órgãos de fiscalização aprovados para o efeito pelos Conselhos de Participação Cidadã e Controle Social (Cpccs), a participarem ativamente deste processo”.

Veja também

Por