Segunda linha do Metrô de Bogotá

Em conferência pública realizada na manhã do dia 26 de novembro de 2020, a Prefeitura de Bogotá apresentou os resultados dos estudos que está realizando para a formulação, análise e priorização de alternativas para a expansão do metrô de da cidade e sua articulação com outros projetos de transporte da Região Bogotá-Cundinamarca e do Sistema Integrado de Transporte Público (SITP) da capital colombiana.

De acordo com os estudos apresentados pela Prefeitura, a melhor alternativa para a expansão do Metrô de Bogotá é em direção ao município de Suba, onde também foram avaliadas as localidades de Usaquén e Engativá. Levar o metrô a essas localidades foi uma promessa de campanha da prefeita Claudia López.

Com base na avaliação de treze corredores alternativos, o governo da capital selecionou o corredor formado pela Rua 72 e pela Avenida Cidade de Cali para a expansão do Metrô de Bogotá até a localidade de Suba.

Este corredor se conecta com a Primeira Linha do Metrô de Bogotá (PLMB) na Rua 72 com a Avenida Caracas.

SIGNIFICADO

Para que o governo nacional co-financie este trecho do Metrô de Bogotá, o governo da capital deve realizar estudos de viabilidade e cumprir os requisitos exigidos pelo artigo 100 da Lei 1955 de 2019 e pela Resolução 20203040013685 de 2020 do Ministério dos Transportes.

Os Ministérios dos Transportes, Fazenda e Crédito Público e o Departamento de Planejamento Nacional acompanharam o Distrito Capital na apresentação dos resultados dos estudos para a formulação, análise e priorização de alternativas para a expansão do Metrô de Bogotá.

Segundo o governo nacional, para a Nação é de “grande importância apoiar entidades territoriais na estruturação de projetos de transporte ferroviário em benefício dos cidadãos”.

A ministra dos Transportes, Ángela María Orozco, assegurou que “o Metrô de Bogotá é uma das obras mais importantes por seus múltiplos benefícios de desenvolvimento e mobilidade para a cidade e seus habitantes. Com a expansão da primeira linha para Suba, a expectativa é que a Capital avance na conformação de uma rede de transporte urbano que conecte todas as localidades e proporcione uma melhor qualidade de vida aos cidadãos”.

A prefeita Cláudia Lopez reiterou na reunião que quando seu governo afirmou que basearia a mobilidade de Bogotá no sistema de metrô, estava falando sério.

ESTUDOS

Durante o evento, a Prefeitura de Bogotá divulgou os resultados dos estudos de formulação, análise e priorização de alternativas para a expansão do Metrô, propostas para chegar à cidade de Suba pelos corredores da Rua 72 e Avenida Cidade de Cali, que hoje exige uma solução de transporte coletivo, deixando em aberto a possibilidade de estender a Linha 1 ao norte da cidade.

Cabe lembrar que a Primeira Linha do Metrô de Bogotá (PLMB) está sendo co-financiada pela Nação. O governo contribui com 70% do custo total do projeto, ou seja, pouco mais de 16 bilhões de pesos (USD 4,41 bilhões).

Soma-se a isso um investimento que ultrapassa 4 bilhões de pesos (USD 1,1 bilhão) para as linhas alimentadoras do TransMilenio, correspondentes à Avenida 68 e Avenida Cidade de Cali, cujo objetivo é ampliar a cobertura e a demanda do trecho 1 do PLMB.

Veja também

Por