A comunicação estratégica das organizações de transporte público nunca foi tão importante como neste momento de pandemia da Covid-19

Valeska Peres Pinto, coordenadora do Programa de Comunicação e Marketing da América Latina – UITP, e Roberto Sganzerla, especialista em Marketing e Mobilidade, atuaram como oradores em 16 de abril de 2020, em uma reunião virtual da Divisão da União Internacional de Transportes Públicos (UITP), Divisão América Latina, que discutiu o tema Comunicação estratégica de organizações de transporte público.

Essa reunião foi a continuação de uma série de debates virtuais sobre o tema da mobilidade urbana em face da pandemia da Covid-19. Antes desta videoconferência, foram realizadas outras duas reuniões, uma sobre o aspecto operacional e a outra sobre os aspectos econômicos do assunto.

TRÊS PONTOS CENTRAIS

Na reunião, três pontos centrais foram desenvolvidos: 1) O que comunicar no cenário de pandemia; 2) Quais canais e formas de comunicação e para quem; 3) O que fazer e quais são as necessidades após a pandemia e a recuperação total do setor. Além disso, foram apresentados exemplos de ações.

Os palestrantes destacaram que a comunicação estratégica das organizações de transporte público nunca foi tão importante para a mobilidade urbana e o transporte coletivo de passageiros, como é hoje.

“A comunicação deve ser preventiva e atender a alguns objetivos: fortalecer ainda mais o relacionamento com os clientes, preservar a equipe e sua adesão ao setor o máximo possível, destacar a natureza essencial do setor com não clientes e opinião pública, acrescentar iniciativas para apoiar segmentos vulneráveis ​​usando sua rede de relacionamentos”, afirmou Valeska Peres Pinto em um dos momentos de sua apresentação intitulado Comunicação na época de Covid-19.

Imagem contida na apresentação de Roberto Sganzerla.

Roberto Sganzerla destacou a importância das organizações setoriais levarem informações diretamente ao seu público, chamando essas informações que não passam pelo processamento de mídia de “água pura”.

O especialista brasileiro comentou em sua apresentação: “Para entrar em nosso contexto, beber água pura é ter informações diretas da fonte, sem filtros ou opinião (…). A conclusão a que chego é que temos que ser o veículo e a fonte de informações para clientes e usuários que se deslocam diariamente no transporte público nas cidades. (…) Por esse motivo, os canais digitais independentes cresceram em importância, além de credibilidade e audiência.”

Clique aqui para acessar a apresentação de Valeska Peres Pinto em português.

Para acessar a apresentação de Roberto Sganzerla em português, clique aqui

Veja também

Por