A equipe vencedora do primeiro Hackathon pela Segurança Rodoviária no Peru criou um dispositivo para armazenar informações sobre rotações e velocidades dos veículos

Uma iniciativa do Ministério dos Transportes e Comunicações (MTC) da Universidade Nacional de Engenharia (UNI) do Peru, o primeiro Hackathon pela Segurança Rodoviária 2020 ocorreu de 6 a 8 de março de 2020 em Lima, com um total de 143 participantes de diferentes universidades, comunidades tecnológicas e instituições públicas e privadas do país.

Os organizadores relatam que propostas inovadoras foram desenvolvidas para garantir eficiência na gestão de segurança rodoviária e ferramentas tecnológicas para prevenir acidentes de trânsito, fiscalizar o transporte terrestre e propor respostas imediatas em caso de acidentes rodoviários.

Após três dias de competição, 15 das 34 equipes que se apresentaram foram para a final. Seus projetos foram avaliados em dois grupos: Protótipo de Modelo e Protótipo Nativo.

Vencedores

A equipe vencedora do grupo de Protótipos Nativo foi ‘losRiders’, com seu projeto PaccuRuquy, a seta que tudo vê. Foi desenvolvido um dispositivo que evita que os dados armazenados (rotações, acelerações e desacelerações) sejam alterados por terceiros.

O projeto funciona como uma caixa-preta automotiva alimentada pela energia da bateria do veículo. É composto por um microcontrolador que permite medir rotações, acelerações e uma simples memória micro SD, na qual todas as informações são armazenadas, que são carregadas em uma interface simultaneamente.

O segundo lugar foi para RaceAgainst The Machine. Já o terceiro lugar foi para Eco Puririchiy. Eles ganharam 6.000 soles (1.704,00 dólares), 3.000 soles (852,00 dólares) e 2.000 soles (568,00 dólares), respectivamente.

PROTÓTIPO DE MODELO

As equipes Team Hackiu, TLS, Possible Security, Green Highway e MLV foram as finalistas do grupo Protótipo de Modelo, sendo o último o vencedor com seu modelo de sistema de alarme para detectar padrões anômalos na condução mediante inteligência artificial, transmissão de faíscas e processador de dados. A equipe vencedora recebeu um prêmio de  1.000 soles (283,90 dólares) em dinheiro.

IMPORTÂNCIA

O diretor-geral de políticas e regulamentos em transporte multimodal do MTC, Fernando Cerna, agradeceu aos jovens por sua participação. “O desafio que temos agora como Ministério dos Transportes e Comunicações e como Estado é garantir que esses projetos sejam implementados e não permaneçam protótipos”, disse ele.

Por sua vez, o diretor de Segurança Rodoviária, Pedro Olivares, destacou a recepção da chamada feita pelo MTC.

“Trabalharemos imediatamente com a Sutran e com todas as instituições que fazem parte do sistema de Segurança Rodoviária para tornar realidade as ideias vencedoras, porque o grande vencedor será o país”, afirmou.

A representante do Banco Mundial, Irene Portabales, destacou que as 15 propostas apresentadas na final têm um grande potencial para salvar vidas e reduzir o número de insegurança nas estradas no Peru.

O júri qualificado foi composto pela chefe da Superintendência de Transporte Terrestre de Pessoas, Cargas e Mercadorias (Sutran), Patricia Cama; a representante do Banco Mundial, Irene Portabales; Marlene Prado, líder da equipe de arquitetos de dados Xertica, parceiro do Google, e pelo diretor de segurança rodoviária do MTC, Pedro Olivares.

Por