Onze trens do metrô já estão em Quito

A Empresa Pública Metropolitana Metro de Quito informou que dois novos trens da Linha 1 chegaram ao país na última semana de junho. Eles chegaram ao porto de Manta, de onde se mudaram para a cidade por terra, chegando ao sul da cidade em 27 de junho (unidade 10) e 29 de junho (unidade 11). Os trens foram levados ao setor de Oficinas e Estacionamento de Quitumbe.

Após sua chegada à cidade, como todas as unidades, os trens iniciarão o processo de sintonia: verificação de que está em condições adequadas após a viagem e o ajuste de todos os sistemas eletromecânicos e eletrônicos. Este trabalho está a cargo do fabricante CAF, da consultoria global INECO e do Metro de Quito. Posteriormente os trens serão submetidos a testes.

Com essas novas unidades, a cidade já conta com 11 dos 18 trens que compõem a frota da Linha 1 do Metrô de Quito. O resto dos trens chegará gradativamente ao longo deste ano; está previsto que as próximas unidades serão recebidas no mês de agosto.

Os trens estão sendo construídos na Espanha, pela empresa espanhola CAF (Construções e Auxiliares de Ferrocarriles), que também fornecerá o material complementar para a operação do Metrô de Quito (veículos auxiliares, equipamentos, ferramentas de oficina e lote de peças). A CAF já desenvolveu projetos para as cidades de Washington, Cidade do México, Monterrey, Medellín, São Paulo, Caracas e Santiago do Chile.

O custo de fabricação dos 18 trens (de 6 vagões cada) é de USD 183 milhões, que são financiados através de um empréstimo do Fundo para a Internacionalização da Empresa – FIEM.

CARACTERÍSTICAS

De acordo com a Empresa Pública Metropolitana Metro de Quito, cada trem terá capacidade máxima de 1.500 passageiros, ou seja, dez vezes a capacidade de um trólebus ou seis biarticulados. Cada trem terá 144 assentos (24 por carro). A vida útil dos trens é de 35 anos cada, ou 4.500.000 km. Eles estão equipados com um sistema de proteção e informação para o usuário: sinais informativos eletrônicos, avisos sonoros, detecção de incêndio etc.

Os trens são projetados para atender às necessidades dos passageiros com deficiência, tendo espaços específicos dentro dos vagões para cadeiras de rodas, assentos preferenciais e avisos sonoros. No caso de uma emergência na unidade, incluindo uma situação de assédio, roubo etc.; através de um intercomunicador localizado em cada carro, o passageiro poderá entrar em contato diretamente com o operador de trem que, por sua vez, irá se comunicar com o posto de controle central onde haverá pessoal de segurança. Os trens terão uma velocidade média de 40 quilômetros por hora e percorrerão os 22 km que separam Quitumbe e El Labrador em 34 minutos. (Atualmente, a velocidade média do transporte público na superfície é de 18 km/hora). Em caso de emergência e em caso de necessidade de evacuação, poderão ser usadas as escadas semi-automática acionadas pelo motorista.

Veja também

Por