Na Argentina, aumento inferior a 1% no número de mortes em acidentes de trânsito em 2017 em comparação com 2016

Está disponível e pode ser baixado via link no final desta matéria o documento em espanhol intitulado Anuário Estadístico de Siniestralidad Vial – Año 2017 – Dirección Nacional de Observatorio Vial de Argentina Versión Final, lançado em novembro 2018.

Entre outras informações, o documento mostra que, em 2017, na Argentina, um país com 44.044.811 habitantes e frota de 23.152.892 veículos foram registradas 5.611 mortes em acidentes de trânsito, com taxa de mortalidade (mortes por 100.000 habitantes) de 12,7 e taxa de fatalidade (mortes por 10.000 veículos registrados) de 2,4. Em 2016, foram registrados 5.582 óbitos em acidentes de trânsito em todo o país.

Em 2017, pelo menos 118.550 pessoas ficaram feridas por acidentes de trânsito, com 7.350 casos graves e 51.217 casos de ferimentos leves. Sobre o número de feridos, é preciso dizer que a Província de Buenos Aires e a Cidade Autônoma de Buenos Aires informam apenas o total de feridos, sem discriminar entre casos graves e leves, e também é necessário explicar que nem todas as jurisdições do país fazem distinção entre ferimentos leves e graves, sendo, portanto, necessário que o total de feridos referente a todo o país total seja entendido levando em conta essas condições.

O documento foi elaborado pelo Observatório Viário, no âmbito da Agência Nacional de Segurança Viária, por meio das informações fornecidas pelos centros oficiais de dados das diferentes jurisdições que compõem a Nação Argentina.

Com 25 páginas, o documento é uma síntese estatística dos acidentes de trânsito 2017. O Observatório Viário informa que o documento apresenta os dados dos acidentes e suas conseqüências em termos de morbi mortalidade correspondente ao período de 2017 em todo o país. A informação apresentada é considerada final, sendo que houve uma retificação dos dados preliminares apresentados no mês de agosto de 2018.

A introdução da publicação destaca: “Este documento inclui informações relevantes para a conscientização dos cidadãos e tomada de decisão de funcionários em diferentes níveis de governo, particularmente aqueles dedicados à prevenção e redução da incidência. da epidemia de insegurança rodoviária. Na segurança viária, como em outras áreas de política pública, o que não é conhecido não existe, o que não é medido não pode ser melhorado. Nesse sentido, é essencial dispor de informações que nos permitam dimensionar o problema, entender suas características e acompanhar sua evolução em relação às ações realizadas

VÍTIMAS FATAIS

O relatório está estruturado em três seções: vítimas fatais, feridos e acidentes. Das 15 tabelas, 10 referem-se a vítimas fatais, com os seguintes focos: Tabela 1 – Mortes fatais no local e totais até 30 dias após o acidente ter ocorrido, por jurisdição. Ano de 2017; Tabela 2 – Total de mortes até 30 dias por jurisdição – Taxas de mortalidade e fatalidade. Ano de 2017; Tabela 3 – Evolução das vítimas fatais até 30 dias, por jurisdição. Período 2016-2017; Tabela 4 – Evolução da taxa de mortalidade por jurisdição. Período 2016-2017; Tabela 5 – Evolução da taxa de letalidade por jurisdição. Período 2016-2017; Tabela 6 – Características sociodemográficas das vítimas fatais. Vítimas fatais até 30 dias de acordo com o sexo por jurisdição. Ano de 2017; Tabela 7 – Características sociodemográficas das vítimas fatais. Vítimas fatais até 30 dias de acordo com a faixa etária por jurisdição. Ano de 2017; Tabela 8 – Vítimas fatais até 30 dias de acordo com o tipo de usuário das estradas por jurisdição. Ano de 2017; Tabela 9 – Vítimas fatais até 30 dias de acordo com a área de ocorrência por jurisdição. Ano2017; Tabela 10 – vítimas fatais até 30 dias de acordo com o horário de ocorrência do acidente, por jurisdição. Ano de 2017.

FERIDOS, ACIDENTES E ASPECTOS METODOLÓGICOS

O documento apresenta uma tabela com dados sobre lesões, Tabela 11 – Feridos segundo a gravidade e lesões totais por jurisdição. Ano de 2017, e quatro outras tabelas com dados sobre acidentes: Tabela 12 – Características dos acidentes de trânsito. Acidentes de acordo com a gravidade das vítimas por jurisdição. Ano de 2017; Tabela 13 – Características dos acidentes de trânsito. Tipo de acidente por jurisdição. Ano 2017; Tabela 14 – Características espaciais e temporais de acidentes viários. Acidentes de acordo com a área de ocorrência por jurisdição. Ano de 2017; Tabela 15 – Características espaciais e temporais de acidentes viários. Acidentes de acordo com o horário de ocorrência por jurisdição. Ano de 2017. Existe, no final, uma seção sobre aspectos metodológicos.

Baixar a publicação

PROGRAMA DE ESTUDOS SOBRE ACIDENTES DE TRÂNSITO – As Ediciones SAIJ, da Direção Nacional do Sistema de Informação Legal, Ministério da Justiça e Direitos Humanos da Argentina, lançou em 2018 a publicação estudos do Programa de Estudos sobre Acidentes de Trânsito, em espanhol, que documenta os resultados de um esforço interdisciplinar da Direção que, a partir de diferentes abordagens metodológicas e fontes de informação, conseguiu aprofundar conhecimentos sobre o tema dos acidentes rodoviários. Objetivos gerais. O Programa de Estudos sobre Acidentes de Trânsito teve os seguintes objetivos gerais: Abordar o conhecimento integral dos acidentes de trânsito ocorridos na Argentina a partir de estudos específicos que abordem diferentes dimensões; Gerar uma ampla base de conhecimentos de diferentes fontes e diferentes estratégias metodológicas sobre o fenômeno dos acidentes de trânsito na Argentina, e divulgar os resultados para organizações governamentais e não-governamentais e para a população em geral, para que haja um alinhamento de ações quanto ao tema. Baixar a publicação

Por