Mais um passo no processo de licitação da Estrada de Ferro Central do Uruguai

Em 4 de setembro de 2018, na sede do Ministério de Transportes e Obras Públicas do Uruguai, procedeu-se à abertura do envelope número três do concurso público internacional 35/2017 – Projeto Infraestrutura da Ferrovia Central.

Em 4 de setembro de 2018, na sede do Ministério de Transportes e Obras Públicas (MTOP) do Uruguai, em uma cerimônia pública com a presença do ministro Victor Rossi, jornalistas e representantes de todas as empresas que participam do processo de licitação, procedeu-se à abertura do envelope número três do concurso público internacional 35/2017, correspondente ao projeto Infraestrutura da Ferrovia Central. O envelope continha a oferta apresentada pelo consórcio Grupo Vía Central, formado pelas empresas uruguaias Saceem e Berkes, e pelas empresas estrangeiras Sacyr e NGE.

A abertura foi inicialmente agendada para os primeiros dias de agosto. Diante do pedido de uma das empresas participantes, o governo decidiu adiar a abertura do envelope e prorrogar o prazo para a prestação de informações adicionais, a fim de fornecer as garantias necessárias para empresas e assegurar a transparência no processo.

Este foi outro passo no processo de licitação. Uma comissão técnica do MTOP procederá à avaliação correspondente à proposta. Além disso, será feita uma consulta a um consultor externo.

“É um trabalho muito exigente. Muito ambicioso e muito importante para o país”, disse o ministro Rossi ao referir-se ao projeto que será executado por meio de Parceria Público-Privada. As obras começarão a ser executadas em janeiro de 2019.

O projeto da Ferrovia Central envolve a construção e manutenção de 273 quilômetros de ferrovia entre o porto de Montevidéu e a cidade de Paso de los Toros, com implantação de um padrão mais elevado de operação, permitindo a circulação de trens de carga a 80 quilômetros por horas e com 22,5 toneladas por eixo.

O governo nacional do Uruguai ressaltou que o projeto Ferrovia Central somado a outros que já estão curso, tais como a reabilitação da linha de Rivera e a linha litorânea entre Piedra Sola e Salto, consolida a expansão da oferta de transporte ferroviário de carga doméstica e regional, complementando os modos até agora utilizados.

Veja também

Por