Juntos, México, Brasil e Argentina produziram quase um milhão de veículos leves no primeiro bimestre de 2018

Faltaram exatas 389 unidades para que os três maiores pólos produtores de veículos na América Latina – México, Brasil e Argentina – alcançassem, juntos, a marca de um milhão de unidades produzidas no primeiro bimestre de 2018. A soma ficou em 999.611 unidades produzidas. Nos três países, o setor vive momento de otimismo.

MÉXICO

No mês de fevereiro de 2018, a indústria automotiva no México produziu 328.352 veículos leves (automóveis e utilitários), significando aumento de 6,2% em comparação com fevereiro de 2017, quando foram produzidas 309.234 unidades. Os dados foram divulgados no início de março pela Associação Mexicana da Indústria Automotiva (AMIA).

A produção acumulada do primeiro bimestre do ano foi de 507.068 veículos leves, o que representa incremento de 8.5% em comparação com primeiro bimestre de 2017, quando foram produzidas 467.349 unidades.

Exportações. Em fevereiro de 2018, foram exportados 275.980 veículos leves produzidos no México, com aumento de 11,2% em relação ao volume exportado no mesmo mês do ano anterior.

A contabilização acumulada de janeiro a fevereiro de 2018 mostra que foram exportadas 507.068 unidades, significando crescimento de 8,5% em comparação com as 467.349 unidades exportadas no mesmo período de 2017.

Os dados de exportação por região em fevereiro revelam crescimento de 8.8% das vendas mexicanas de veículos para os Estados Unidos; de 180.127 unidades vendidas no segundo mês de 2017 o volume exportado subiu para 196.040 em fevereiro 2018. Não obstante, a participação norte-americana nas exportações mexicanas de veículos foi menor em fevereiro de 2018 – 71% do total exportado contra 72.5% no mesmo mês do ano anterior.

As exportações de veículos mexicanos para a América Latina caíram 4,1%, mas a participação de mercados latino-americanos cresceu. Em fevereiro de 2018, países latino-americanos absorveram 19.785 unidades produzidas no México, o que representava 7,2% do total exportado; já em janeiro de 2017, adquiriram 20.634 unidades, 8,3% do volume exportado então.

BRASIL

Divulgados também no início de março, dados Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA) revelam que a produção e o licenciamento de autoveículos cresceram no início de 2018.

Nos dois primeiros meses deste ano, foram produzidos no Brasil 431.600 veículos (números arredondados pela fonte) significando resultado 15% superior ao do mesmo período em 2017, quando foram produzidas 375.100 unidades.

Apenas em fevereiro de 2018, foram fabricadas no Brasil 213.500 unidades, representando volume 6,2% superior ao observado em fevereiro de 2017, quando foram produzidas 201.100 unidades.

A produção de fevereiro de 2018 – mês com quatro dias úteis a menos – foi 2,1% menor do que a de janeiro, quando foram produzidos 218.100 mil veículos leves.

Comercialização e licenciamento. Quanto ao licenciamento, o registro do segundo mês de 2018 foi de 156.900 unidades comercializadas, representando alta de 15,7% em relação às 135.700 unidades comercializadas em fevereiro do ano passado, e baixa de 13,4% em comparação comas 181.300 unidades vendidas em janeiro de 2018. As 338.000 unidades licenciadas no primeiro bimestre de 2018 representam expansão de 19,5% em comparação com as 282.900 unidades licenciadas em igual período de 2017.

Exportações. As exportações brasileiras de veículos cresceram 7,2% no primeiro bimestre de 2018: foram exportadas 112.700 unidades contra 105.100 mil no ano passado.

Em fevereiro de 2018, 66.300 unidades foram vendidas para o Exterior, resultado inferior em 1,2% ao observado em fevereiro do ano passado, quando foram comercializadas 67.100 unidades, e 42,9% superior ao resultado de janeiro de 2018, quando foram exportadas 46.400.

Caminhões. De acordo ainda com o comunicado da ANFAVEA, as vendas de caminhões em fevereiro de 2018 foram de 4.000 unidades, acréscimo de 54,6% se confrontado com as 2.600 unidades vendidas em fevereiro do ano passado e diminuição de 11,4% ante as 4.600 unidades comercializadas em janeiro de 2018. Neste caso, a produção de fevereiro 2018 foi menor do que a janeiro em razão da diferença de dias úteis entre os dois meses.

No acumulado do primeiro bimestre de 2018, foram comercializadas 8.600 unidades, o que significa elevação de 54,7% sobre as 5.600 vendidas no primeiro bimestre de 2017.

Quanto à produção, o primeiro bimestre de 2018 terminou com 14.500 mil caminhões produzidos – resultado 47,8% superior ao observado em igual período do ano passado, quando produzidas em igual período do ano passado.

Somente em fevereiro, foram fabricadas 7.800 representando crescimento de 46,2% sobre as 5.300 unidades fabricadas de fevereiro do ano passado e de 15,8% frente às 6.700 unidades fabricadas em janeiro de 2018.

As exportações também apontam crescimento na comparação dos bimestres deste ano e do anterior: as 4.600 unidades exportadas em 2018 estão 43,3% maiores que as 3,2 mil unidades do ano passado. Em fevereiro 2,7 mil caminhões deixaram o País, aumento de 27,3% na análise com as 2,1 mil de fevereiro de 2017 e de 44,9% sobre as 1,9 mil de janeiro.

Ônibus. O licenciamento de ônibus no bimestre ficou em 1.700 mil unidades, crescimento de 84,4% se comparado com as 932 unidades do ano passado. Em fevereiro, 871 unidades foram negociadas, expansão de 103,5% ante as 428 negociadas em fevereiro de 2017 e avanço de 2,7% sobre as 848 comercializadas em janeiro de 2018.

A produção nos dois meses de 2018 foi 67% maior do que no ano passado, quando 2.400 mil chassis para ônibus saíram das fábricas; neste ano, o volume chegou a 4.100 chassis. Apenas em fevereiro, foram fabricadas 2.100 mil unidades, o que significa crescimento de 55,2% frente às 1.400 unidades registradas em fevereiro do ano passado e expansão de 8,4% sobre as 1.900 de janeiro de 2018.

As exportações de ônibus no acumulado somam 1,4 mil unidades – acréscimo de 35,5% com relação as 1,1 mil do ano passado.

ARGENTINA

Informações da Associação de Fábricantes de Automotores (ADEFA) mostram que, em fevereiro de 2018, a produção argentina de veículos foi de 39.085 unidades, significando aumento de 62,6% em comparação com o desempenho de fevereiro de 2017, quando foram produzidas 24.036 unidades, e um crescimento de 78,8% sobre janeiro de 2018, quando a produção alcançou 21.858 unidades.

A produção acumulada no primeiro bimestre de 2018 foi de 60.943 unidades, o que representa 20% a mais do que as 50.798 unidades produzidas em 2017.

América Latina absorve exportações. O setor automotivo argentino exportou em fevereiro 19.237 veículos, ou seja, 48,8% acima do volume registrado em fevereiro de 2017, quando foram exportadas 12.931 unidades, e um aumento de 84,8% sobre o resultado de janeiro de 2018, mês em que foram exportadas 10.409 unidades.

O total de veículos argentinos exportados no acumulado do primeiro bimestre de 2018, 29.646, representa acréscimo de 30,7% sobre o acumulado do mesmo período no ano anterior, quando foram exportadas 22.685 unidades.

Nada menos do que 94,3% dos veículos leves argentinos exportados em janeiro e fevereiro de 2018 tiveram como destino países da América Latina e do Caribe. O Brasil absorveu 20.522 unidades, o que significa 69,2% do total exportado. Guardadas as proporções, o Brasil está para a indústria automotiva argentina como os Estados Unidos estão para a indústria mexicana do segmento.

A América Central – incluindo Panamá, Haiti, Honduras, El Salvador, Nicarágua, Costa Rica, Curaçao, República Dominicana, Saint Marteen, Aruba, Belize, Bahamas e Guatemala – absorveu 2.588 unidades (8,7%). Vêm em seguida: Peru, com 1.829 unidades (6,2%); Colômbia, 981 unidades (3,3%); Paraguai, 860 unidades (2,9%); Chile, 783 unidades (2,6%); Bolívia, 525 (1,8%); Equador, 279 veículos (0,9%); Uruguai, 227 unidades (0,8%) e México, 138 veículos (0,5%). Por Alexandre Asquini

Veja também

Por